×
Blog

Gestão necessária para escolher um sistema de força de vendas

29 de março de 2022

Escolher um sistema de força de vendas para sua empresa não se trata somente de aspectos técnicos. É preciso identificar aspectos da gestão empresarial para que a melhor solução seja encontrada. 

Essa gestão empresarial é a forma como a empresa funciona de um modo geral, desde a sua estratégia de negócio, cultura corporativa, processos internos e gestão de pessoas.

Com certeza você deve estar se perguntando: por que o modo pelo qual a gestão do meu negócio é feita pode impactar na decisão de compra de um sistema de força de vendas? 

A resposta é simples! Sempre que uma nova tecnologia vai ser implementada na empresa, ela precisa estar alinhada com os processos existentes, assim como a participação do time de colaboradores. Não adianta ter a melhor tecnologia se ela estiver totalmente deslocada da maneira como a empresa funciona.

Para entender melhor essa etapa de gestão na hora de aderir ao sistema de força de vendas, responda às seguintes perguntas:

Como funciona o meu ERP?

Antes de mais nada, é importante saber como o ERP da sua empresa funciona. Entender toda a parte de integração é fundamental para decidir qual sistema de força de vendas deverá implementar.

As integrações, por mais que estejam cada vez mais avançadas, nem sempre funciona para todo tipo de sistema. É comum encontrar no mercado, por exemplo, ERPs compatíveis com uma única solução. Portanto, a depender do seu ERP você ficará praticamente sem escolhas na hora de automatizar a sua força de vendas. Daí, a importância de conhecê-lo e pensar se vale a pena mantê-lo ou adquirir outro.

Hoje, as integrações de um modo geral podem acontecer por meio de três situações. São elas:

Web Service

Essa tecnologia soluciona uma questão comum na integração de sistemas: fazer com que aplicações diferentes se comuniquem. Ou seja, é totalmente possível que as aplicações novas possam interagir com as já existentes e que sistemas desenvolvidos em plataformas diferentes sejam compatíveis.

Geralmente, nesse tipo de integração, a empresa desenvolvedora do sistema disponibiliza uma API aberta que colabora com a flexibilidade da integração.

TXT 

Essa técnica é um pouco mais trabalhosa e normalmente a mais evitada pelos desenvolvedores. Isso acontece porque toda a integração é feita de forma manual por meio de configuração de texto.

Integração por tabela

Essa integração geralmente obedece um leiaute específico de um sistema, onde o ERP precisa se adequar. É comum encontrar esse tipo de situação em sistemas que se integram com obrigações acessórias do governo. Nesse caso, o governo disponibiliza um leiaute com regras para que as empresas de software possam se adaptar. Softwares que importam notas fiscais, enviam dados para o eSocial e EFD-Reinf, são exemplos disso.

Mas é importante destacar que não é exclusivo apenas de integração com o governo, esse foi apenas um exemplo. Por isso, é importante ter um conhecimento avançado sobre o seu ERP e a tecnologia que ele utiliza.

Como funcionam os processos internos da minha empresa?

Os processos internos de uma empresa, dizem muito sobre qual sistema de força de vendas deve ser implementado. Em uma distribuidora, por exemplo, é importante saber como funciona:

  • os processos financeiros da organização;
  • os processos logísticos e as tecnologias utilizadas;
  • o caminho percorrido durante uma venda;
  • o sistema de estoque e distribuição;
  • os processos de suporte e atendimento;
  • inteligência de mercado, e;
  • estratégias e processo de marketing.

Quando as respostas para essas perguntas não são respondidas ou não são claras, a empresa corre o risco de aderir a uma solução de força de vendas, que no final das contas, não vai atender a demanda completamente. E todo sistema subaproveitado, é um prejuízo para a companhia.

Saber os processos e tecnologias de áreas correlacionadas da empresa, permite uma integração mais eficaz do sistema a ser adquirido, além de oferecer mais dados precisos e inteligentes para melhores tomadas de decisões. 

Quem será responsável pela integração dos sistemas? 

Saber quem vai assumir a integração do ERP com o novo sistema de força de vendas, é essencial para evitar dores de cabeça mais à frente.  

Portanto, cabe identificar o profissional ou o time que vai contribuir tecnicamente para o bom funcionamento da tecnologia. Dessa forma, procure saber se:

  • é o próprio fornecedor do sistema que vai fazer a integração;
  • se é o fornecedor do ERP que vai contribuir nesse processo;
  • se é sua equipe de TI que vai assumir a tarefa, ou;
  • se é um profissional específico da empresa ou um time capacitado para isso.

Ao ter o responsável certo para integrar os sistemas, você evita encontrar problemas técnicos após já ter assinado contrato de compra da solução. 

Qual o prazo para ter o sistema funcionando?

Sempre que um projeto vai ser implementado em uma empresa, é importante que sejam definidos alguns deadlines. Ou seja, prazo máximo para que as ações sejam finalizadas.

Em um sistema de força de vendas, não seria diferente. Pois cada sistema pode ter um processo específico para que seja implementado completamente, e esse processo pode impactar no prazo final.

Para começar, defina o deadline final do projeto, ou seja, o prazo para que o sistema esteja perfeitamente funcionando. A partir daí, defina as etapas da implementação do projeto, e então, os deadlines de cada etapa.

Lembre-se que durante essas etapas estão a negociação, assinatura de contrato e compra do sistema, alinhamento inicial, implantação e treinamento com equipes. Por isso a importância do prazo certo para ter o sistema funcionando.

Todo esse prazo precisa ser definido e comunicado para as gestões e diretoria. 

Faça um mapeamento completo do que a sua distribuidora precisa

Como pôde observar, escolher um sistema de força de vendas não é algo tão complicado, mas é preciso estar atento a todos os detalhes. Existem diversas soluções sendo ofertadas no mercado, porém, cada uma delas pode trazer ou não as principais funcionalidades.

Uma dica importante para esse momento de decisão é: mapeie todas as áreas que precisam ser integradas, assim como os dados e relatórios que farão sentido para o seu time de vendas. Após ter tudo que precisa em mãos, analise qual fornecedor pode melhor lhe atender.

A Polibras, por exemplo, desenvolve tecnologias para distribuidores atacadistas sempre de olho nas tendências de mercado e necessidades dos distribuidores.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo. Compartilhe com pessoas que também podem se interessar em saber mais sobre o tema e continue acompanhando nosso blog.

Compartilhe esta página: