polibrassoftware ×
Blog

Inteligência de dados: como ela aumenta a eficiência do atacado distribuidor?

3 de setembro de 2021
Inteligência de dados: como ela aumenta a eficiência do atacado distribuidor?

Entra ano e sai ano, e as empresas acumulam todos os dias, dados e informações sobre diversos pontos relacionados ao seu negócio. O que muitos ainda não perceberam é que esses dados são essenciais para o planejamento de novas estratégias. Por isso, neste conteúdo vamos falar sobre a inteligência de dados.

Com o mundo cada vez mais digital, o número de informações e dados que uma empresa gerencia vem aumentando significativamente. Afinal, cada ação que fazemos em um site, ferramenta, sistemas e plataformas, fica registrada e pronta para servir de norte para as empresas.

Certamente, estamos falando de um processo incrível e que todas as empresas sonham com ele. Mas vale ressaltar que os dados quando mal geridos, podem trazer sérios problemas para uma organização, como uma distribuidora, por exemplo.

Para entender a importância da inteligência de dados para o distribuidor atacadista, vamos a partir de agora explicar do que se trata e como ela funciona. Logo em seguida vamos pontuar cinco situações em que a gestão de dados impacta de forma positiva para esse tipo de empresa.

O que é inteligência de dados?

A inteligência de dados nada mais é que um processo onde as informações são gerenciadas de modo que elas sejam fortes aliadas de uma empresa. Essas informações devem ser integradas em softwares e logo em seguida serem apresentadas de uma forma que seja possível fazer boas análises.

No dia a dia, uma empresa coleta informações de diversos aspectos como, faixa etária dos seus clientes, geolocalização, sexo das pessoas que consomem seus produtos, o valor médio que costumam gastar em suas compras, o horário que entram em contato ou frequenta a loja, etc. Todos esses dados – que são apenas alguns dos exemplos – são essenciais para saber onde mirar nas tomadas de decisão.

Através dos dados que são armazenados de forma inteligente, é possível compreender todo o comportamento do consumidor, além de entender também os números internos da empresa.

Trazendo para a realidade do distribuidor atacadista, vamos listar alguns dos dados possíveis de serem analisados de acordo com os dois cenários acima.

Comportamento do consumidor:

  • dias da semana que mais costuma fazer seus pedidos;
  • o canal que mais utiliza para se comunicar com o vendedor;
  • a média de produtos que costuma pedir todos os meses;
  • as marcas que mais vende;
  • o tipo de produto que mais solicita;
  • nível de urgência dos pedidos (pede com antecedência ou não);
  • formas de pagamento que mais utiliza (à vista, parcelado, fatura, etc);
  • horários que mais se comunica com a distribuidora, entre outros.

Números internos da empresa:

  • quantos produtos vendidos por mês;
  • cliente que compra mais em volume de mercadorias;
  • cliente que compra mais em valores;
  • mercadorias que sofrem mais danos no transporte;
  • rotas mais longas e demoradas;
  • quantidade de pedidos com erros;
  • tipos de erros internos e onde eles mais ocorrem;
  • produtos que mais costumam falta no estoque, assim como;
  • produtos que costuma sobrar no estoque;
  • estados, cidades e bairros com mais vendas, etc.

Veja que acima, listamos diversos dados que podem ser gerenciados por uma distribuidora e usados de forma inteligente. Obviamente esses dados são apenas alguns exemplos dos vários outros tão importantes quanto.

Agora que entendemos o que é a inteligência de dados, vamos conhecer as situações em que ela é essencial para o crescimento da empresa. Continue lendo!

Como a inteligência de dados impacta positivamente no atacado distribuidor?

A gestão adequada dos dados beneficia todo e qualquer tipo de empresa, entre elas as distribuidoras atacadistas.

Para um atacado distribuidor ter sucesso na sua missão – independente de qual seja a visão e valores da empresa – é necessário ter atenção em três importantes frentes: estratégia de mercado, gestão de pessoas e gestão de processos.

Baseado nessas três frentes, separamos cinco situações onde a inteligência de dados impacta positivamente. Confira!

Inteligência de dados: como ela aumenta a eficiência do atacado distribuidor?

Planejamento estratégico eficiente

O planejamento estratégico é algo que nenhuma empresa pode viver sem. A empresa que não planeja os seus objetivos a curto, médio e longo prazo, está fadada a fechar as portas em pouquíssimo tempo.

Esse tipo de planejamento serve para orientar os caminhos que a empresa deve percorrer. Uma empresa de distribuição, por exemplo, pode analisar o ponto que quer chegar em determinado período e traçar a forma como vai chegar até lá.

E é exatamente por se tratar de uma análise, que o empresário distribuidor precisa ter em mãos, dados importantes que o ajude a decidir o que quer e como fazer para ter. Obviamente, a gestão de dados é quem vai melhor orientar esse empresário.

Digamos que o empresário deseja crescer em 60% a sua atuação no mercado maranhense. Mas ele não tem dados suficientes ou de forma clara, que mostre as reais chances desse crescimento ser possível.

Se ele investe dinheiro sem ter a certeza na tomada de decisão, terá grandes chances de não colher os bons resultados e amargar prejuízo.

Lembra quando mencionamos alguns dados de comportamento do consumidor e números internos da empresa? Para essa situação, entender esses dados seria fundamental.

Melhor desempenho das equipes

Não existe nada mais frustrante para uma equipe do que trabalhar sem saber o rumo que deve seguir. Todos os dias fica apenas aquela sensação de que quanto mais nada, mais longe fica da praia.

Com a inteligência de dados bem estruturada na empresa, os colaboradores podem analisar o ponto certo em que irão atacar estrategicamente. Seja o time de vendas, marketing, financeiro, logística ou recursos humanos.

Se o dado mostra que 75% dos clientes são mulheres, o time de marketing vai buscar fazer ações específicas voltadas para esse público. Assim como o vendedor vai treinar o pitch de vendas de modo que se comunique bem com essa persona.

Quanto mais dados fidedignos os colaboradores tiverem, mais resultados bons entregarão, e quanto mais resultados entregarem, mais motivados estarão. Veja que o círculo do bom desempenho se fecha e tudo começa a fluir bem.

É como aquele velho ditado: “Contra dados não há argumentos”.

Equipes mais criativas e inovadoras

Engana-se quem pensa que o bom desempenho operacional do colaborador é a única vantagem da inteligência de dados.

Quanto mais informações organizadas a empresa tiver, mais criatividade e inovações poderá ver no trabalho do seu time. Isso acontece porque os colaboradores, principalmente os do time de marketing, passam a conhecer as reais dores, necessidades e comportamentos dos clientes e do público-alvo.

Com esses dados claros e precisos, fica mais fácil oferecer ao cliente ou prospect exatamente o que ele precisa. E vamos combinar que toda inovação ou criatividade surge de acordo com uma necessidade que ninguém tinha percebido antes, mas que estava ali.

Inteligência de dados: como ela aumenta a eficiência do atacado distribuidor?

Mais competitividade no mercado

Não dá pra concorrer no mercado se não souber em que solo está pisando. Por isso, os dados são tão importantes para ser uma empresa competitiva.

A partir do momento que o empresário distribuidor entende a sua participação no mercado e analisa com dados a também participação dos concorrentes, ele passa a conhecer melhor os motivos que fazem os clientes comprarem dele.

Não podemos deixar de dizer que o posicionamento e o diferencial – tão necessário para ser competitivo – de uma empresa são definidos após a análise de dados. Portanto, percebemos o quanto a inteligência de dados é importante para esse quesito.

Diminuição de erros e prejuízos

Já parou para pensar em quanto erros já ocorreram pelo simples fato de um colaborador não saber o que está fazendo?

Baseado no cenário do distribuidor atacadista, vamos considerar que um profissional de marketing responsável pela divulgação de mídia paga no facebook, direcione R$ 10 mil para a cidade de Fortaleza e R$ 20 mil para a cidade de Recife. Porém, o histórico mostra que o número de prospects que clicam no anúncio e fecham a compra é bem maior em Fortaleza do que em Recife.

Por que será que esse analista de marketing direcionou mais dinheiro para uma praça fraca ao invés de aplicá-lo na cidade onde a conversão de vendas é maior?
Certamente a falta de dados para ajudá-lo a tomar a decisão o fez seguir o caminho errado.

Esse erro gerou prejuízo para a empresa, pois o dinheiro foi empregado no lugar errado.

Claro que esse exemplo é básico, mas ajuda a entender as diversas situações que uma empresa pode sofrer pelo simples fato de tomar decisões na base do “achismo”.

A inteligência de dados evita os erros e consequentemente os prejuízos.

Como a inteligência de dados ajuda no relacionamento com o cliente?

Depois de caminhar por todas as situações acima, chegamos em uma das mais importantes: o relacionamento com o cliente.

Você já parou para pensar como a inteligência de dados pode tornar o empresário mais próximo do seu cliente? As possibilidades são diversas, vão desde entender como o cliente se comporta e entregar a ele o que precisa, até mesmo se fazer presente na vida dele em momentos especiais.

Puxando para este último caso, podemos citar alguns momentos na vida do cliente em que seria interessante a empresa estar junto e mostrar toda sua dedicação e parceria. Esses momentos são:

  • datas de aniversário: ideal para enviar presentes e mensagens;
  • aniversário da empresa cliente: prestar uma homenagem nas redes sociais;
  • dia da mulher: dedicar apoio as clientes do sexo feminino;
  • recorde de vendas: parabenizar o cliente pelas vendas de seus produtos e etc.

Todo cliente gosta de se sentir especial e querido, portanto, cabe à empresa traçar estratégias para tornar o cliente o centro de suas atenções.

As estratégias de relacionamento são diversas, mas nunca será possível sem a inteligência de dados. Portanto, é essencial aproveitar ao máximo esse processo para colher bons frutos.

Enfim, esperamos que este conteúdo tenha ajudado você a entender a importância da gestão de informações e dados, a fim de melhorar a tomada de decisão na sua distribuidora.

Continue antenado no nosso blog e até o próximo post!

Inteligência de dados: como ela aumenta a eficiência do atacado distribuidor?
Compartilhe esta página: